Bem Vindos

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Resumo do Livro O chupa-tintas

                                                               RESUMO DO LIVRO
                                                             O CHUPA-TINTAS
                                                              AUTORES: ÉRIC SANVOISIN
                                                                                   MARTIN MATJE
                                                              EDITORA MARTINS FONTES
                                                     Resultado de imagem para O chupa tintas

É A HISTÓRIA DE UM MENINO, CUJO PAI É LIVREIRO, E LÊ O DIA TODO, EM TODOS OS LUGARES.
 HÁ LIVROS POR TODA A PARTE, ATÉ NO BANHEIRO. 
E O MENINO SIMPLESMENTE ODEIA OS LIVROS.
O MENINO ESTA DE FÉRIAS, E O PAI O LEVA PARA TRABALHAR NA LIVRARIA COM ELE.
SEU TRABALHO, COMO NÃO GOSTA DE LER, E CUIDAR DOS LADRÕES E DOS LEITORES  NA LIVRARIA.
ELE CONHECE TODOS OS LEITORES E  SEUS HÁBITOS .
ELE TEM UM ESCONDERIJO, NO FUNDO DA LOJA. 
UMA PEQUENA JANELA SE ABRE NO MEIO DE UMA PAREDE DE LIVROS, NINGUÉM PODE SABER.
SOU ESPIÃO ELE DIZ.
EM UM CADERNO ANOTA TUDO O QUE OBSERVA.
UM DIA CHEGA UM NOVO CLIENTE QUE ELE NUNCA TINHA VISTO.
A CABEÇA DELE É ENGRAÇADA.
A PELE CINZENTA E UM AR PERTUBADO.
PARECE FLUTUAR A DEZ CENTÍMETROS DO CHÃO. COMO UM FANTASMA.
DURANTE CINCO MINUTOS ELE VAGUEOU PELAS ESTANTES, ATÉ QUE BEBEU UM LIVRO.
ELE NÃO O ABRIU. 
APENAS SEPAROU AS PÁGINAS DO MEIO E ALI, NA FENDA QUE SE FORMOU, PLANTOU UM CANUDINHO QUE ACABARA DE TIRAR DO BOLSO, SE PÔS A ASPIRAR.
DE REPENTE ELE COLOCOU O LIVRO NO LUGAR, GUARDOU SEU CANUDINHO E SAIU DA LIVRARIA.
O MENINO ESPEROU ELE SAIR E PEGOU O MESMO LIVRO E PARA SEU ESPANTO NÃO HAVIA NENHUMA LETRA NELE, ESTAVA TODO EM BRANCO.
O ESTRANHO HAVIA BEBIDO A TINTA DO LIVRO.... 
O MENINO RAPIDAMENTE SAIU DA LIVRARIA E CONSEGUI SEGUI-LO.
PARA SEU ESPANTO ELE ENTROU NO CEMITÉRIO.
E O MENINO CONTINUO A SEGUI O ESTRANHO, E ELE ACABOU NUM MONUMENTO NO MEIO DO CEMITÉRIO, UMA CRIPTA EM FORMA DE TINTEIRO.
ELE ENTROU E VIU UMA SALINHA REDONDA, COBERTA DE LIVROS  E MUITAS VELAS.
NO MEIO UM CAIXÃO EM FORMA DE TINTEIRO, E DENTRO DELE.... O SUSPEITO RONCAVA.
O MENINO SE APROXIMA E DE REPENTE O SUSPEITO ACORDA.
- O QUE TE TRAZ AQUI PEQUENO?
- EU VIM VER MINHA AVÓ. DEVO TER ERRADO DE PORTA.
O ESTRANHO DISSE:
-VOCÊ ME SEGUIU, POR QUÊ?
- O SENHOR BEBEU UM LIVRO. EU VI!
- SABE QUEM EU SOU, PERGUNTOU ELE?
- UM VAMPIRO, DISSE O MENINO.
- VERDADE. SÓ QUE SOU ALÉRGICO A SANGUE, DEPOIS DE CONSUMI-LO POR MUITOS ANOS.
- POR ISSO O SENHOR ENGOLE A TINTA?
-SIM, RESPONDE ELE.
- E PORQUE O SENHOR NÃO COMPRA FRASCO DE TINTA FRESCA?
- PORQUE NÃO TEM GOSTO DE NADA. E A TINTA DOS LIVROS É DELICIOSA.
- VOCÊ NÃO ACREDITA EM MIM GAROTO?
-AH, SIM SIM ACREDITO.
-NÃO ACREDITA NÃO. MAS NÃO TEM PROBLEMA NENHUM, VOU TE MOSTRAR QUE É VERDADE .
AMANHÃ VOCÊ VAI ENTENDER......
UM VÉU PRETO ME ENCOBRIU.
VAMPIROS NÃO EXISTEM. NINGUÉM BEBE SANGUE NO CAFÉ DA MANHÃ, OU BEBE TINTA COM UM CANUDINHO.
ACABEI DORMINDO EM MEU ESCONDERIJO.
PARA TER CERTEZA DE QUE HAVIA SONHADO, FOLHEEI ALGUNS LIVROS.  
TUDO ESTAVA BEM.
PAPAI FECHOU A PORTA DA LOJA COM DUAS VOLTAS NA CHAVE, ENFIM EM PAZ.
EU ME SENTIA MUITO BEM NO ESCURO. E DIZER QUE PAPAI NÃO HAVIA PERCEBIDO NADA.
CLARO QUE ELE IA ME PROCURAR, MAS EU TINHA COISA MELHOR A FAZER DO QUE IR PARA CASA DORMIR.
OS LIVROS NA ESTANTE ME CHAMAVAM: 
"VENHA, VENHA....
ERA A PRIMEIRA VEZ QUE EU DESEJAVA UM LIVRO.
EM MEU BOLSO HAVIA UM CANUDINHO.
QUE SORTE!!
HUM!!!!! DELICIOSO!!!!
POR MAIS ESTRANHO QUE PAREÇA EU ESTAVA COMENDO FRASES E ESTALANDO PARÁGRAFOS EM MEUS DENTES.
O MAIS ESPANTOSO ERA O SABOR DAS LETRAS.
NO MOMENTO QUE EU IA ASPIRAR MAIS ALGUMAS LETRAS, A LUZ SE ACENDEU.
PAPAI ESTAVA ALI.
- EU PEDI PARA VOCÊ LER OS LIVROS, NÃO MASTIGÁ-LOS!
PERCEBENDO O CANUDINHO E A TINTA QUE ESCORRIA DOS MEUS LÁBIOS, EU DISSE A ELE QUE ERA CHOCOLATE, E ELE ACREDITOU.
EU HAVIA SIDO MORDIDO PELO VAMPIRO E ELE GRAVOU SEU NOME  NO MEU BRAÇO.
DRACULIVRO....
EU ME TORNEI UM CHUPA-TINTA.
ENTÃO PELA PRIMEIRA VEZ NA VIDA FIQUEI FELIZ POR MEU PAI SER LIVREIRO.